Beleza e empoderamento da mulher com Lady Laces

As Laces Wigs são hoje uma tendência nacional, inspirada nas celebridades internacionais. Essa nova geração de perucas vem ganhando espaço no Brasil principalmente pela acessibilidade e praticidade. É possível mudar de visual com um investimento de a partir de 150 reais e precisando apenas de alguns minutos, e o mais importante: sem recorrer a profissionais para instalação.

Trazendo essa liberdade que a mulher precisa no dia a dia, o acessório virou o queridinho principalmente entre as mulheres pretas. Para saber um pouco mais sobre o assunto, a profissional Lady, dona da empresa “Lady Laces” e atuante há 5 anos no mercado, explica.

“A estética do cabelo afro para a mulher negra sempre teve um impacto negativo na construção da autoestima. Geralmente, essas mulheres vêm cansadas de técnicas de alongamento e a busca por um padrão ‘aceito’ pela sociedade, faz com que a grande maioria delas, com o cabelo afro, alisem os fios desde muito cedo. Quantas de nós já ouvimos termos pejorativos, como ‘cabelo ruim’? E quando elas percebem que é possível transformar de forma muito rápida um visual antes impossível de ser alcançado, é uma liberdade. Um gestos simples, como passar as mãos nos fios, jogar uma franja paro o lado, ou fazer um coque desconstruído, para a dona de fios afro, é mais difícil. Manter os cacheado, crespos, alinhado em um corte, ou longos até a cintura, também são desafios. O acessório veio para permitir que ela adote o modelo que quiser, a cor que quiser, transitar entre o liso e o crespo, sem a preocupação com a estrutura do seu próprio fio. E com o custo mais acessível, comparado a outras técnicas de alongamento no mercado. O mercado nacional está mudando, e o padrão da liberdade capilar ‘americana’ vem tornando as usuárias desse acessório mais confortável. O que foi no passado associado a um problema de saúde, hoje já é reconhecida como um acessório de moda, liberdade e empoderamento.”

Junto ao sucesso do acessório, a empresária paulistana descobriu através das suas lives nas redes sociais, que chegaram a alcançar até 2 milhões de pessoas durante a quarentena, que sua marca fazia diferença também na relação da mulher preta com a auto estima e beleza. Com isso, Lady transformou as transmissões ao vivo, que tinham apenas o intuito de vender laces, em um contato direto com o seu público e adaptou o espaço para um bate papo aberto sobre o empoderamento e a força da mulher preta.

“O trabalho dentro das lives, com esse público, é muito maior que ‘vender um produto’. A partir dos próprios depoimentos das clientes e entendendo que a lace é capaz de proporcionar na vida de uma mulher, em todos os aspectos: emocional, profissional, sentimental… percebi que eu não vendia cabelo, entregava a elas autoestima, segurança, ferramentas necessárias para que elas conseguissem melhorar outros fatores na sua vida. E de forma muito natural, ali interagimos, compartilhamos nossas dores, reconhecemos nossas fraquezas e nos unimos em busca de nossos progressos e a capacidade de superação. O cabelo tem o poder de levar a autoestima de uma mulher às alturas, mas também pode deixar ela vulnerável emocionalmente. O meu compromisso com elas não é a busca somente pela autoestima disponível nas prateleiras, mas a construção de mulheres fortes, empoderadas e livres. Que entendam que um acessório de beleza somado a outras mudanças a reconstruirão”, diz.

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *